Vólei - Volleyball - As meninas mais gostosas - The most sexy girls






















Jaqueline Carvalho. A morena quente e depiladinha molha fácil.




Se já não bastasse Mari Paraíba e Jaqueline Carvalho fazendo ensaios sensuais e desviando a atenção dos marmanjos que até esquecem que as moças jogam na seleção brasileira de vôlei, Sheilla Castro entrou na roda e resolveu posar para a revista "Vip".

A morena deixou as quadras de vôlei de lado, tirou a parte de cima do biquíni e ficou soltinha durante as fotos, revelando até mesmo o que mais a atrai nos homens. "Não gosto de homem muito forte. Sou mais para o magro definido. Entre um forte demais ou um magrelo sem músculo, prefiro o magrelo."

Sem cerimônia, Sheilla contou que o clima de paquera rola solto na concentração dos jogos. Em geral, as festas entre equipes são levadas mais a sério do que os próprios treinos. "Qualquer pessoa que quiser fazer putaria vai fazer. Teoricamente, a concentração é uma coisa que dá mais vontade ainda de fazer coisa errada. Quando dá um espacinho, explode."

Para completar, a morena ainda deu uma boa notícia aos rapazes interessados em tentar algo: ela não gosta de ficar muito tempo solteira. "Fico solteira e namoro rápido. As meninas brincam que eu tenho amor ao próximo: próximo!", brinca entre risos.

Dentro de quadra a timidez não tem lugar. Ali, Sheilla parte para o ataque sem a fragilidade que costuma demonstrar. Fora dela, adota outra postura. Na vida não ataca, lança no máximo um olhar, como gosta de dizer.  Aos 29 anos, a bicampeã olímpica resolveu vencer uma barreira. Aceitou fazer um ensaio sensual para a revista "VIP", que chegou nesta sexta-feira às bancas. A oposta da seleção, que considera a russa Goncharova e a holandesa Filer como as jogadoras mais bonitas do mundo, ainda está se acostumando a conviver com os elogios. Costuma ficar vermelha a cada vez que ouve um. No próximo ano, Sheilla pretende ter mais tempo para ela. Pensa em disputar os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, mas para chegar até lá quer ter uma temporada de descanso na equipe brasileira.
Sheilla vôlei ensaio revista VIP (Foto: Debby Gram / Site Oficial da Revista VIP)
Sheilla vôlei ensaio revista VIP (Foto: Debby Gram / Site Oficial da Revista VIP) - É legal para o ego me ver de outra maneira. Eu só fico jogando, estou sempre de uniforme, cabelo preso. Estar produzida é outra coisa. Quero tirar folga da seleção no ano que vem para descansar, o corpo precisa. Depois, claro que quero estar na Olimpíada. Se eu estiver bem fisicamente, vou lutar pelo meu espaço - disse em entrevista à publicação, lembrando que a rotina no vôlei é boa, mas que tem uma que hora cansa por ter "um bando de mulher junta...".
Integrante da geração mais vitoriosa do vôlei feminino do país, Sheilla disse ainda que o investimento na categoria de base feito pela CBV foi fundamental para que o Brasil se transformasse em uma superpotência. Mas ela acha que ainda falta o esporte ser mais incentivado nas escolas de uma maneira geral.
- Espero estar errada, mas para 2016 acho difícil aumentarmos o número de medalhas expressivamente, especialmente as de ouro. Não é em quatro anos que vão surgir vários nomes. Tem cólegio que nem tem educação física obrigatória.











Um comentário: